Ananás

O abacaxi (Ananas comosus), também conhecido entre nós como ananás, é uma infrutescência produzida pela planta que dispõe do mesmo nome (podendo também ser denominada por abacaxizeiro ou ananaseiro), sendo um símbolo das regiões tropicais e subtropicais.

 

A espécie compreende muitas variedades frutíferas, existindo várias espécies selvagens, pertencentes ao mesmo género. O fruto, quando maduro, tem um sabor bastante ácido e, muitas vezes, adocicado. Apesar do que muitas vezes se diz, o abacaxi não é uma fruta cítrica.



Origens

O ananás já era cultivado pelos indígenas em extensas regiões do Novo Mundo, antes da sua descoberta pelos europeus. É originário da América tropical e subtropical (centro-sul do Brasil, nordeste da Argentina e Paraguai).

 

Acredita-se que os nativos do Sul do Brasil e do Paraguai disseminaram o ananás na América do Sul, acabando este por chegar ao Caribe, América Central e México.

 

Os espanhóis introduziram a planta nas Filipinas, Havaí, Zimbabwe e Guam, ao passo que os portugueses introduziram a fruta na Índia, em 1550. A planta foi, posteriormente, trazida para a Europa pelos Holandeses. Devido às dificuldades de importação na época e os elevados custos de necessários à plantação do ananás em climas temperados, este tornou-se num objeto de ostentação, sendo usado em jantares como enfeite e reutilizado continuamente até apodrecer.



Propriedades

As propriedades descongestionantes, depurativas e digestivas do ananás, tornaram-no numa fruta muito apreciada pelos portugueses. Uma vez que ajuda a perder peso e eliminar líquidos, além de reduzir o inchaço, consiste num misto de dieta antitoxinas e dieta saciante.

 

O ananás é nutricionalmente muito completo, pois contém vitaminas, minerais, oligoelementos e oferece inúmeras vantagens digestivas, sendo ideal para perder peso. 100g de ananás fresco contém apenas 44 calorias. Um dos segredos desta fruta é a sua quantidade de vitaminas: fornece carotenos (20 mg por cada 100 g), percursores da vitamina A. Além disso, também concentra importantes quantidades de vitamina C (16 mg por cada 100 g) e vitamina E, a par de vitaminas do grupo B, que favorecem o bom estado da pele.

 

Os antioxidantes combatem os radicais livres e previnem o aparecimento de doenças e também o envelhecimento precoce da pele. É um excelente digestivo, sendo rico em vitaminas A (betacaroteno), C, complexo B e E, que atuam de forma benéfica ao nível da proteção e regulação do organismo. A vitamina E tem uma ação antioxidante que ajuda a proteger as células e tecidos de agressões e danos externos e a ação antioxidante, potenciada pela vitamina C e pelo betacaroteno.

 

O ananás contém ainda minerais, como potássio (160 mg por cada 100 g), magnésio e cobre. Contém também alguns ácidos digestivos e uma enzima, a bromelina que se encontra essencialmente na coroa do ananás (nas folhas verdes) e ajuda a metabolizar os alimentos. O seu conteúdo de fibra (1,2 g por cada 100 g) ajuda a regular o trânsito intestinal.

 

Este fruto alivia, igualmente, a prisão de ventre e bloqueia a absorção de gorduras. O ananás não tem quase gorduras nem colesterol, mas contém hidratos de carbono de absorção rápida. O ananás é ainda bom para a hipertensão, pela sua concentração de potássio. Protege o organismo de infeções e também ajuda a limpar as vias respiratórias. A sua ação anti-inflamatória acalma as dores da artrite, tendinites, entorses e luxações.

 

Para além disso, cerca de 75% do seu conteúdo é água, o que ajuda a drenar as toxinas do corpo, pelo que é uma fruta depurativa.

 

O ananás, quando integrado numa alimentação variada e equilibrada, é, assim, um alimento eficaz na promoção da saúde.



Utilização / Conservação

O ananás já era cultivado pelos indígenas em extensas regiões do Novo Mundo, antes da sua descoberta pelos europeus. É originário da América tropical e subtropical (centro-sul do Brasil, nordeste da Argentina e Paraguai).

 

Acredita-se que os nativos do Sul do Brasil e do Paraguai disseminaram o ananás na América do Sul, acabando este por chegar ao Caribe, América Central e México.

 

Os espanhóis introduziram a planta nas Filipinas, Havaí, Zimbabwe e Guam, ao passo que os portugueses introduziram a fruta na Índia, em 1550. A planta foi, posteriormente, trazida para a Europa pelos Holandeses. Devido às dificuldades de importação na época e os elevados custos de necessários à plantação do ananás em climas temperados, este tornou-se num objeto de ostentação, sendo usado em jantares como enfeite e reutilizado continuamente até apodrecer.



Observações

100 g de ananás contém apenas 44 calorias.