Laranja

Fruto da laranjeira, árvore da familia Rutaceae, terá surgido a partir do cruzamento da cimboa com a tangerina.

O sabor da laranja varia do doce ao levemente ácido, mas existem também as laranjas extremamente ácidas, que pertencem a outra espécie (Citrus aurantium). Frequentemente, esta fruta é descascada e comida ao natural ou espremida para se obter sumo. As pevides (pequenos caroços duros) são habitualmente removidas, embora possam ser usadas em algumas receitas.

A casca exterior pode ser usada também em diversos pratos culinários, como ornamento, ou mesmo para dar algum sabor. O albedo, a camada branca interior da casca, de dimensão variável, raramente é utilizado, apesar de ter um sabor levemente doce. É recomendada para equilibrar o sabor ácido da laranja na boca, após se consumir o fruto.



Origens

A laranja doce foi trazida da China para a Europa, no século XVI, pelos portugueses. É por isso que as laranjas doces são denominadas "portuguesas" em vários países, especialmente nos Balcãs. Por exemplo, laranja em grego é portokali, em turco portakal, em romeno é portocala e portogallo, com diferentes grafias, nos vários dialetos italianos.

A origem das frutas do gênero Citrus confunde-se, no tempo, com a história da humanidade. Sabe-se apenas que a maior parte dos frutos cítricos é originária de regiões entre a Índia e o sudeste dos Himalaias, onde se encontram, ainda em estado silvestre, variedades de limeiras, cidreiras, limoeiros, toranjeiras, laranjeiras amargas ou azedas, laranjeiras doces e de outros frutos ácidos aclimatados ou locais.

Alguns autores afirmam que os citrinos teriam surgido no leste asiático, de onde teriam sido levados para o norte da África e para o sul da Europa, chegando às Américas por volta de 1500. Porém, tanto na Europa como na América, foi na segunda metade do século XIX que tomaram impulso o cultivo e a comercialização das suas diferentes variedades. Os citrinos espalharam-se pelo mundo, sofrendo mutações e originando novas variedades devido ao seu cultivo via sementes.

A história da laranja inicia-se na Índia, onde era conhecida pelo nome nareng. Da Índia, este fruto espalhou-se pela restante Ásia, passando a denominar-se narang, nome que foi dado a uma cidade paquistanesa, situada na província de Punjab. Da Ásia chegou à Europa através de Portugal.

Um dos primeiros locais na Europa onde se iniciou o cultivo da laranja foi em França, tendo os franceses adaptado o nome narang para orange. Foi com este nome que a laranja veio a ser associada, em algumas culturas, à cor do ouro. A palavra or, em francês, significa ouro.

Na Ásia e Médio Oriente, onde era conhecida, a laranjeira assumia-se como árvore ornamental e dotada de características extraordinárias.

Era muito comum nos pátios das casas árabes abastadas, geralmente associada a uma fonte ou a um lago.

Em várias culturas, os seus frutos foram conhecidos como "maçãs do paraíso". É possível ver em pinturas antigas os frutos da "Árvore da Ciência" representados por laranjas.

A cor de laranja encontra-se ligada ao fruto do mesmo nome e, em tempos antigos, eram ambos considerados exóticos.



Propriedades

A laranja é muito conhecida por ser uma importante fonte de vitamina C, sendo esta o seu nutriente mais significativo. Duas laranjas por dia fornecem a quantidade de vitamina C de que o organismo precisa.

A forma mais eficiente de se beneficiar de todos os nutrientes da laranja é consumi-la fresca ou bebendo o seu sumo. O sumo terá níveis mais elevados de quase todos os nutrientes, devido à sua concentração.



Utilização / Conservação

A laranja doce foi trazida da China para a Europa, no século XVI, pelos portugueses. É por isso que as laranjas doces são denominadas "portuguesas" em vários países, especialmente nos Balcãs. Por exemplo, laranja em grego é portokali, em turco portakal, em romeno é portocala e portogallo, com diferentes grafias, nos vários dialetos italianos.

A origem das frutas do gênero Citrus confunde-se, no tempo, com a história da humanidade. Sabe-se apenas que a maior parte dos frutos cítricos é originária de regiões entre a Índia e o sudeste dos Himalaias, onde se encontram, ainda em estado silvestre, variedades de limeiras, cidreiras, limoeiros, toranjeiras, laranjeiras amargas ou azedas, laranjeiras doces e de outros frutos ácidos aclimatados ou locais.

Alguns autores afirmam que os citrinos teriam surgido no leste asiático, de onde teriam sido levados para o norte da África e para o sul da Europa, chegando às Américas por volta de 1500. Porém, tanto na Europa como na América, foi na segunda metade do século XIX que tomaram impulso o cultivo e a comercialização das suas diferentes variedades. Os citrinos espalharam-se pelo mundo, sofrendo mutações e originando novas variedades devido ao seu cultivo via sementes.

A história da laranja inicia-se na Índia, onde era conhecida pelo nome nareng. Da Índia, este fruto espalhou-se pela restante Ásia, passando a denominar-se narang, nome que foi dado a uma cidade paquistanesa, situada na província de Punjab. Da Ásia chegou à Europa através de Portugal.

Um dos primeiros locais na Europa onde se iniciou o cultivo da laranja foi em França, tendo os franceses adaptado o nome narang para orange. Foi com este nome que a laranja veio a ser associada, em algumas culturas, à cor do ouro. A palavra or, em francês, significa ouro.

Na Ásia e Médio Oriente, onde era conhecida, a laranjeira assumia-se como árvore ornamental e dotada de características extraordinárias.

Era muito comum nos pátios das casas árabes abastadas, geralmente associada a uma fonte ou a um lago.

Em várias culturas, os seus frutos foram conhecidos como "maçãs do paraíso". É possível ver em pinturas antigas os frutos da "Árvore da Ciência" representados por laranjas.

A cor de laranja encontra-se ligada ao fruto do mesmo nome e, em tempos antigos, eram ambos considerados exóticos.



Clima

A faixa de temperatura indicada situa-se entre os 22 °C e os 33 °C (nunca acima de 36 °C e nunca abaixo de 12 °C), com uma média anual de cerca de 25 °C. Sob altas temperaturas a laranjeira emite, ao longo do ano, vários surtos vegetativos, seguidos de fluxos florais que possibilitam a maturação de frutos, em várias épocas.

O ideal anual de chuvas está nos 1200 mm, bem distribuídos ao longo do ano. A humidade do ar deve estar nos 80%. O clima influi na qualidade e composição do fruto, como é o caso do teor de suco, sólidos, maturação ou volume de frutos.

Embora se desenvolva em vários tipos de solos, a laranjeira prefere os solos areno-argilosos e argilosos porosos, profundos e bem drenados.

Devem-se evitar solos rasos e sujeitos a encharcamentos.



Observações

O principal inimigo das laranjas é a humidade. Por isso, nunca colher durante a primeira hora da manhã, quando ainda estão húmidas, pois ao colocá-las na caixa com presença de humidade, as frutas poderiam estragar-se em poucos dias.