Manga

A manga é o fruto da mangueira (Mangifera indica L.), árvore frutífera da família Anacardiaceae, nativa do sul e do sudeste asiáticos, desde o leste da Índia até as Filipinas e introduzida com sucesso no Brasil, Angola, Moçambique e em outros países tropicais. O nome vem do idioma malaiala manga e foi popularizada na Europa pelos portugueses, que conheceram a fruta em Kerala.



Origens

A manga é a fruta nacional da Índia (onde existem mais de cem variedades), Filipinas e Paquistão. São encontradas menções a ela em canções do século IV, em poemas escritos em Sânscrito. Acredita-se que tenha sido provada por Alexandre, o Grande (século III A.C.) e o peregrino chinês Xuanzang (Séc. VII D.C.).

Mais tarde, no século XVI, o imperador mogol Akbar plantou cem mil árvores de manga em Darbhanga, Bihar, num lugar agora conhecido como Lakhi Bagh.



Propriedades
Uma manga fresca contém cerca de 15% de açúcar e até 1% de proteína e quantidades significativas de vitaminas, minerais e antioxidantes, podendo conter vitaminas A, B e C. Graças à alta quantidade de ferro que contém, a manga é indicada para tratamentos de anemia e é benéfica para as mulheres grávidas e em períodos de menstruação. Na Índia, acredita-se que as mangas estancam as hemorragias, fortalecem o coração e trazem benefícios ao cérebro. É também utilizada em infecções pulmonares, gengivas inflamadas (gengivites, feridas na boca e no canto dos lábios). A casca da manga é lisa, sendo que a cor varia entre o vermelho, o laranja e o amarelo. Quando madura, a manga exala um cheiro adocicado. A sua polpa é suculenta (tem grandes quantidades de água), doce e saborosa, podendo ser fibrosa ou lisa, dependendo da espécie. Possui apenas um caroço, de tamanho grande.

Utilização / Conservação

A manga é a fruta nacional da Índia (onde existem mais de cem variedades), Filipinas e Paquistão. São encontradas menções a ela em canções do século IV, em poemas escritos em Sânscrito. Acredita-se que tenha sido provada por Alexandre, o Grande (século III A.C.) e o peregrino chinês Xuanzang (Séc. VII D.C.).

Mais tarde, no século XVI, o imperador mogol Akbar plantou cem mil árvores de manga em Darbhanga, Bihar, num lugar agora conhecido como Lakhi Bagh.